NOSSO ESPAÇO

Clínica MB Osteopatia e Pilates

Rua: Demar Tozzi, 340

Bairro São Joaquim. Franca-SP

Email: almir.resende@hotmail.com

Tel: 16 98147-5995

whatsapp_MB.png
  • Branca Ícone Instagram
  • White Facebook Icon

CONTATO

© 2029 by Almir Resende Coelho.

CINESIOTERAPIA MULTISSENSSORIAL

A abordagem cinesioterapêutica oferecida pelo método Fisioterapia Labiríntica 4.0, está atualizada com as recentes diretrizes da APTA (American Physical Therapy Association).

O controle postural permite que as pessoas realizem atividades funcionais e mantenham seu equilíbrio com base no acoplamento percepção-ação e processos de alto nível do sistema nervoso central (SNC) [1,2]. O SNC também reconhece o sistema vestibular como a principal fonte de informação quando a entrada fornecida pelos sistemas proprioceptivo e visual é imprecisa ou ausente, atuando como sistema de referência em tais situações [3].


Indivíduos com vestibulopatias periféricas podem experimentar conflitos sensoriais crônicos entre os sistemas vestibular, visual e somatossensorial, que os impedem de modular adequadamente as informações sensoriais para manter o equilíbrio. Esse conflito pode causar inúmeras deficiências funcionais, que reduzem a capacidade de realizar atividades da vida diária [4].


A literatura indica que a reabilitação vestibular clássica (RV), baseada nos protocolos clássicos de Cawthorne e Cooksey, está desatualizada. Abordagens terapêuticas recentes para RV baseiam-se em quatro pilares: estabilidade do olhar, habituação, equilíbrio corporal e treinamento de marcha [5].

 

Portanto, a busca por novas abordagens terapêuticas que complementem a RV atual é necessária para reduzir a influência de sintomas otoneurológicos contínuos, o que prejudica o equilíbrio e o desempenho funcional. Desta forma, o método Fisioterapia Labiríntica 4.0, irá lhe oferecer uma série de exercícios ambulatorias e domiciliares supervisionados, baseado em evidências científicas e clínicas.

Referências

[1] M.E. Tinetti, C.S. Williams and T.M. Gill, Health, functional, and psychological outcomes among older persons with chronic dizziness. Journal of the American Geriatrics Society. 48 (2000), 417-421.

 

 [2] M. A Caldas, C.F. Ganança, F.F. Ganança, M.M Ganança and H.H. Caovilla, Vertigem posicional paroxística benigna: caracterização clínica. Braz. J Otorhinolaryngol. 75 (2009), 502-6.

 

[3] J.M. Gazzola, F.F. Ganança, M.C. Aratani, M.R. Perracini and M.M. Ganança, Clinical evaluation of elderly people with chronic vestibular disorder. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology. 72 (2006), 515-522.

 

[4] S.J Herdman, Vestibular Rehabilitation. 3. ed. Philadelphia:Contemporary perspectives in rehabilitation, 2007.

 

[5] C.D. Hall, S.J. Herdman, S.L. Whitney, et al. Vestibular Rehabilitation for Peripheral Vestibular Hypofunction: An Evidence-Based Clinical Practice Guideline: FROM THE AMERICAN PHYSICAL THERAPY ASSOCIATION NEUROLOGY SECTION. J Neurol Phys Ther. 40 (2016),124–155.